domingo, outubro 11, 2015

Do Acordar e do Dormir

É acordares e tocares nas tuas pernas e pensar... Lá vamos nós outra vez. É olhares te ao espelho e sentires te inchada. Uma bola. É não aguentares o calor. É teres medo de amanhã ser pior. É de acordares e sentires que tens o lábio 4 vezes maior. É acordares e não conseguires abrir o olho. É acordares e sentires te inchada. É pores te debaixo do chuveiro com água gelada. É teres medo de dormir. É acordares com dores de garganta porque a garganta inchou, da medicação ou do problema, isso não sei. É já alguns meses. É consultas. É uma urgência e quatro médicos. Todos eles com algo diferente. Todos eles com promessas. É corticoides, algo que sempre prometi a mim mesma que não ia tomar, mas estou a tomar. É chorar e pensar quando é que isto acaba. É os lençóis parecerem ásperos durante uma crise. É acordar ao meio da noite e não conseguir dormir. É andar de lado mas de maneira nenhuma. É pensar no quanto estas a ser parva: há doenças tão piores e tu preocupada com isto. Mas isto como me foi dito: não mata, mas mói.
 
[mas também há as pessoas que têm estado estado sempre lá e para essas não tenho palavras!]

(16 de Julho)

Sem comentários:

Enviar um comentário

escreve... vá lá... não custa nada... ;)