terça-feira, julho 22, 2014

Das Coisas


Não há coisas. Existem coisas, sem explicação. Não há coincidências, pelo menos eu não acredito nelas. Há trabalho, esperança, dedicação, esforço, prazer e glória. Há isso tudo. Mas tens que chegar ao momento bolha. Ao momento em que estás na tua bolha, onde te sentes bem lá dentro. Onde te sentes feliz. Onde te sentes em paz com tudo o que te rodeia. Onde tudo parece ser minimamente feliz. Onde trazes apenas quem te interessa em número reduzido (uma mão chega... se sobrar não há problema). Onde quem está contigo não é preciso que abras a boca para saber o que estás sentir. Simplesmente, já te conhecem. Simplesmente, isso. Mas esse simplesmente é tudo e mais alguma coisa. Mas isso não quer dizer que tudo seja perfeito. Porque não é. A beleza das coisas esta na sua imperfeição. Na sua falta de jeito, da sua necessidade de carinho, na falta de um abraço mais apertado.

Posted via Blogaway

1 comentário:

escreve... vá lá... não custa nada... ;)