terça-feira, abril 29, 2014

Aquele momento


Aquele momento... em que até um determinado ponto vias as coisas pelo copo meio cheio. ´
Aquele momento... em que até acreditavas que.
Aquele momento... em que te lembras do que realmente pensavas que estava enterrado.
Aquele momento... em que só me apetece  enfiar na cama e dormir.


quinta-feira, abril 24, 2014

Do Sono (#02)


Alguém próximo de dia achou boa ideia tirar-me horas de sono. Se eu já não sou pessoa de dormir muito, agora acho que vou definitivamente deixar de dormir.  

Não porque tenha ficado chateada com a opção ou qualquer coisa semelhante. Apenas sei que vou ficar extremamente preocupada enquanto não receber uma chamada todos os dias.

Que tudo corra bem e vai correr. Porque tem que correr e porque sei que é algo que ele quer muito e precisa. As minhas horas de sono serão retribuídas de outro modo, com a alegria nos olhos do meu pai. 

terça-feira, abril 15, 2014

As Insónias


As insónias é uma coisa que tenho. Talvez até crónica, vá se lá saber. Começaram com maior intensidade à cerca de 10 anos. Contudo, em pequena também já tinha dias seguidos em que não dormia e que aterrorizava a malta lá de casa. Não tem a ver com qualquer problema psicológico, sabe se lá do que. Não tem a ver com ansiedade. Também não tem a ver com qualquer outra coisa que eu me esqueci de referir. São coisas que acontecem. Nem tudo tem a ver com uma qualquer explicação Freudiana, nem tudo tem a ver com psicologia. 
Para que conste, antes do "aí e tal Coitadinha", pois não.... Só custam as primeiras 24 horas e os momentos mais mortos... a partir daí.. não custa nada. Às vezes as coisas são apenas como elas são sem dramas, sem problemas. Apenas não durmo à 4 noites, ou pelo menos o tempo que durmo nunca é superior a 2 horas, por noite. E é apenas isso. O habitual. Nada de novo.

quarta-feira, abril 02, 2014

Apenas Eu


Parece que pela primeira vez acertaram nestas coisas.

"Elas não param de falar, nunca. Sabem falar sobre todos os assuntos e conversar com elas nunca é monótono. Pelo contrário, é encantador. São sinceras e não fazem comentários por maldade, apenas dizem o que pensam. Tendem a ser aquele tipo de mulher que acreditam em todos e que acham que a vida é perfeita. Não existem pessoas más para as librianas. Talvez seja esse um dos motivos que as levam a se decepcionar tanto. Acreditam e confiam demais nas pessoas. Chegam a ser até meio sonsas. São tão educadas em impor suas vontades que ficamos até sem graça de dizer um ''não'' a essa mulher. Indecisa? Eu? Claro que não. Vou escolher oh.. Me ajuda, esse ou esse? Ou aquele? Ou.. Essas são as librianas. Indecisas. Mas jamais digam isso a ela se não quiserem ver uma mulher irritada! Bondosas, delicadas e justas. Até demais."