segunda-feira, março 31, 2014

De Hoje

Faz sentido o tempo hoje estar assim. Faz hoje precisamente 5 anos, que te foste embora. Acho que não houve um único dia que não me lembre de ti, do teu sorriso. Hoje sonhei contigo a noite toda, hoje não sei até que ponto preferia não ter dormido. Lembrar me de ti,  de como seria se tivesses cá. De ti e do meu mano mais velho, como seria se tivessem cá. Mas não estão. Mas lembro me de vocês. Com um sorriso enorme e com esperança que onde quer que possam estar, estão felizes.

terça-feira, março 18, 2014

Perda


Começo me a esquecer da tua cara e da tua voz. 
Começo me a esquecer de ti, das tuas palavras e eu não queria. 

Porquê é que passados quase 5 anos a dor não diminui? 
Porquê é que eu não chorei no dia do funeral? 
Porquê é que só passado 1 ano e 1 mês é que chorei a tua falta, de tal modo que me faltou o ar? 
Porquê é que todos os anos me lembro do teu aniversário e da data em que te foste embora? 

Mas porque é que tu fostes e tanta falta me fazes hoje, amanhã e sempre?

segunda-feira, março 17, 2014

As Pessoas (#02)


Para percebermos determinadas atitudes, formas de estar e respostas de algumas pessoas é necessário entender o contexto da pessoa. As pessoas não fogem às questões porque são loucas ou porque se lembraram.  
Não vamos cair na idiotice de desculpar a maldade das pessoas. Mas há coisas e coisas. 

sexta-feira, março 14, 2014

As pessoas (e eu também)

As pessoas são assim muito estranhas. 
Enchem-se de meias palavras, pretendem que as outras pessoas descubram aquilo que sentem/querem por meias palavras. 
Verdade seja dita, eu também sou assim. Ando ali as voltas, muito as voltas. Mas também sou apologista de que a indecisão paraliza, contem as pessoas de fazer loucuras, mas sabe tão bem fazer loucuras. Daquelas que sabemos que é mesmo uma loucura, daquelas loucuras que sabemos que o acto em si depois pode acabar em algo muito bom. Mas no preciso momento em que fazemos não temos a certeza, do que virá. Apenas a incerteza. Do não ser carne, nem ser peixe. Mas as meias palavras, as meias vontades são boas. Até certo ponto e esse ponto eu não gosto. Aliás odeio, porque dói. 

sexta-feira, março 07, 2014

Perguntas sobre mim (#01)


À uns dias atrás alguém me perguntou o que é que usava para descomprimir, para tirar a tensão. A primeira coisa que respondi... foi nada. A segunda foi, se calhar não é bem assim. Se calhar, até tenho. E tenho mesmo. Não são chocolates, não é açúcar, não é nada calórico. Também não é alcool.
Chegar a casa, ligar as colunas e pôr no volume máximo e cantar enquanto arrumo a casa é uma delas. Não questionem a minha voz, sff. Não há essa necessidade. 
A outra, a minha preferida: conduzir. Mas conduzir, para aliviar a frustação. Conduzir sem destino. Conduzir com música. Conduzir, não propriamente devagar. Sentir o controle. Apanhar a Auto Estrada de Cascais e ir para a praia. O meu escape. Os meus sonhos. 

quarta-feira, março 05, 2014

♥ Music (#08)


Shine 

Paris Nights 

My Songs Know 

Cansaço


Por vezes "batem nos" novamente. Não cansados do que fizeram no passado, tentam de novo. Magoar, rodar a faca e tentar que vamos de novo ao fundo. Como já fizeste. Ontem tentaste, de novo. Mas a diferença de ontem e das outras vezes, é que não conseguiste.

Por isso, cada vez mais, cada dia que passa, sei que fiz a melhor opção.

sábado, março 01, 2014

Dos Erros desta Vida (e dos orgasmos)


"Chegares ao final de um dia, olhares para trás e não encontrares um orgasmo é a prova de que afinal ainda não chegaste ao final do dia. Quando chegas ao final do dia e não contabilizaste um orgasmo tens de esticar o dia, tens de fazer valer o dia: tens de fazer valer a pena o dia. Cada dia tem de ter um orgasmo dentro. Ou mais do que um orgasmo dentro. Cada dia tem de ser um orgasmo de dentro. E se não pode ser o orgasmo do sexo que seja o orgasmo do riso; e se não pode ser o orgasmo do riso que seja o orgasmo da voz; e se não pode ser o orgasmo da música que seja o orgasmo da pele. Se não puder ser um orgasmo: que seja outro orgasmo. Mas que seja orgasmo. Viver só é viver quando é orgasmo. Com corpo ou sem corpo: orgasmo. Viver é a única forma de orgasmo. E o orgasmo é a única forma de vida. Desta e de todas as vidas. Desta que é a tua vida." 

 "O Livro dos Loucos"
Pedro Chagas Freitas