segunda-feira, setembro 30, 2013

♥ Music (#05)

Fade

Suddenly I See

Imagine One Day

Sabes porque me fazes feliz?

Porque me fazes sentir eu.
Porque falo contigo sobre tudo.
Porque falamos de um assunto sério da mesma maneira com que falamos do estado de tempo.
Porque me dizes para ter calma.
Porque saio com os meus amigos e fico descansada contigo.
Porque cozinhas como ninguém.
Porque tens um coração de ouro.
Porque numa altura em que te magoei estiveste lá para mim.
Porque quando chove posso me aconchegar a ti.
Porque me fazes sorrir por motivos estúpidos.
Porque me fazes querer ir para casa.
Porque te quero dar um abraço.
Porque sim.
Porque és tu.

quarta-feira, setembro 18, 2013

Do Amor e da Traição


A parvoíce atingiu-me. 
Diz que é normal procurar uma segunda mulher, quando não se têm tudo em casa. Ainda ninguém me conseguiu dar a definição de tudo, por mais que eu tivesse perguntado. 
Diz que é normal ter casos, com a mesma normalidade que eu vou tomar café com os meus amigos. 
Diz também que é diferente. Sim, a sedução e tudo mais.
Diz também, que eu é que estou errada. Que não é por terem problemas em casa, que vão procurar outra. Em vez de tentarem resolver os problemas que têm em casa.
Diz que eu estou errada, que sou anormal, que os outros é que estão certos. 
Diz que é todo um novo mundo.
Diz também que não percebem o porque de eu ficar escandalizada por isso.
Diz também que não faz sentido contarem à mulher o que se passou para tentarem ver o que esta mal.
Diz também que não se sentem mal com isso.
Diz também que têm a relação perfeita com a mulher. 
Diz que eu estou errada nisto tudo.
Diz também que estas pessoas são verdadeiros cavalheiros para as suas amadas.

Agora alguém com jeitinho, explique-me o porque de eu estar errada.

♥ Music (#04)

Waiting

Look at Me 

Only One

terça-feira, setembro 17, 2013

Dicionário dos Gatos



Insónia: Incapacidade de dormir mais de vinte horas por dia 
Lealdade: Ficar com a mesma pessoa mais de 6 semanas
Stress: Condição apenas observada noutras criaturas 
Pássaro: Comida enlatada com asas mas sem lata 
Pulga: Um pequena peste horrível 
Cão: Uma enorme pulga peluda 
Consciência: Aquele período chato entre sonecas 
Comida: Algo que deve ser ingerido de 30 em 30 minutos 
Amor: Algo que podemos, verdadeiramente, sentir por nós 
Caixa: Possível portal para a utopia que deve ser religiosamente explorado e guardado 
Trabalho: Atividade levada a cabo pela humanidade a fim de manter confortável a gatidade 
Humildade: Não há definição conhecida 
Sofá: Arranhador gigante que geralmente é colocado na sala e que os humanos da casa insistem em querer usar para se sentar. Recomenda-se usar o mesmo com cuidado, já que alguns humanos mais sensíveis costumam gritar "NÃO" quando flagram o felino dono da casa desfrutando de seus direitos inalienáveis e absolutos de afiar as unhas onde quiser.

Os cães são cães, as aves são aves, os gatos são deuses.

segunda-feira, setembro 16, 2013

Dos Textos Nunca Publicados

Tenho uma série de textos guardados. Textos que nunca vão ser publicados. Não por causa da pessoa de quem se fala lá, mas por respeito a outra pessoa. Pela pessoa de quem falo lá, já tive respeito. Hoje não.
Essa segunda pessoa nunca teve a culpa.

terça-feira, setembro 10, 2013

Textos Perdidos (#10)

Ódio profundo é o que sinto por ti.
Ódio porque me transformaste à tua medida.
Ódio porque me fizeste fazer coisas que eu disse "nunca vou fazer".
Ódio por me teres obrigado a tornar numa pessoas sem esperança, sem vontade no que toca a amar alguém.
Ódio por me teres tirado o que eu tinha de bom.
Ódio por ter alguma vez pensado que podíamos ser felizes.
Ódio por seres tão idiota que não vês as oportunidades que tens seres feliz.
Ódio por seres um babado.
Ódio por seres egoísta.
Ódio por seres a única pessoa de quem alguma possa ter gostado verdadeiramente.
Ódio por seres quem és.
Ódio por me teres feito acreditar.
Ódio por me obrigares agora a desconfiar de toda a gente.
Ódio porque me apetece dizer te adeus definitivamente.
Ódio uma coisa que nunca senti, até te ter conhecido.

Textos Perdidos (#09)

O pânico
De não saber se ainda gostas de mim
O horror
De não saber se vamos voltar a falar
O medo
De não saber se já te perdi
O terror 
De não saber se nos vamos encontrar 
Mas acima de tudo... O não saber se vais dar oportunidade de sermos felizes os dois. De fazermos tudo aquilo que falamos, de expressarmos tudo aquilo que sentimos. De te amar como mereces. De seres meu. De ser tua. De sermos felizes.

(29 de Agosto de 2013)

Textos Perdidos (#07)

Hoje fizeste me tanta falta... Nem imaginas. A falta daquela palavra, daquele ombro. Sim, eu sei. Nunca te tive fisicamente. É verdade. Mas sempre te senti muito perto, mais perto do que muitas pessoas que circulam à minha volta. Mais perto que muitos conhecidos. A falta de ouvir o "menina" dessa boca, com aquela tonalidade de "não és apenas uma qualquer, porque és tu". E o sentir que te estou a trair quando falo com outros homens, nem imaginas... Às vezes, sinto que me destrói. Não te sei explicar... Sei que me dói.... Pensar que no dia em que te vou contar, que vais pensar da tua menina?
Sim, porque apesar de tudo... Eu continuo a ser tua e tu não és meu.
(12 de Agosto de 2013)

Textos Perdidos (#06)


O merecer e o querer não é a mesma coisa. Eu posso merecer ser feliz e querer ser feliz contigo, mas tu não me mereces. Não mereces o meu sorriso, a minha felicidade, o meu desejo, o meu querer, a minha esperança que um dia vai correr tudo bem. Aquele dia em que vais estar perto de mim e vais sentir o meu sorriso. Aquele dia em que vamos andar de mãos dadas. Aquele dia em que vamos adormecer, juntos, abraçados a olhar para ti com promessas. Promessas de felicidade. Aquele dia em que vamos olhar um para o outros e saber que vamos ficar juntos. Aquele dia em que eu vou olhar para ti e dizer te que te quero com todas as minhas forcas, nada mais importa sem seres tu. Tu es quem eu quero, mas tu não me mereces. Contudo, consigo ser idiota, estúpida e parva para continuar a insistir no erro. Contudo tenho o orgulho, mas sobre o orgulho tenho o medo e o pânico de me sentir magoada, de sentir mais uma facada, mais uma dor. Uma facada daquelas que te fazem sentir que te tiram o ar, que precisas de ar, mas não tens. Não me mereces... Mas eu quero-te.
(24 de Julho de 2013)

terça-feira, setembro 03, 2013

♥ Music (#03)

Life

Believe

Dance For You

Da Blogosfera

Surge-me a hipótese de fazer um novo blogue. Um novo conceito. Não deixando este, acho eu. Mas um outro. Um outro mais pessoal, mais intimista, mais meu. Por um lado apetece-me imenso fazer isso. Por outro lado, não sei bem. Não me apetece abandonar este blogue. Já existe à 8 anos. Ou então passo-me e faço um extreme makeover neste. Também é possível!