sexta-feira, agosto 23, 2013

Coisas que só uma Mulher podia escrever (#02)


Portanto, tirei as minhas unhas de gel. A minha falta de jeito para as pintar é muito parecido com o desenho que os meus gatos fariam com as patas, numa folha branca. 
Quero as minhas unhas de gel de volta!!! 

terça-feira, agosto 20, 2013

#02

Voltamos sempre ao mesmo... eu sei demasiado bem aquilo que quero. E o problema é mesmo esse. Sei o que quero e como quer. Sei disso tudo. Sei que vou de saltos altos. Sei perfeitamente isso. E isso é um problema.

Lisboa

A cidade dos sonhos. A cidade que me conquistou como nunca outra. A cidade onde eu vou de férias e volto e digo "vou voltar para casa". A cidade onde fico feliz com o regresso. A cidade onde o melhor das outras cidades é a placa a dizer "Lisboa". A minha cidade. A cidade onde desco a Avenida da Liberdade a pé até à baixa do chiado. A cidade do marisco, do Santini e dos Pastéis de Belém. A cidade onde se come muitoooo bem. A cidade que é rodeada pela perfeição. A cidade onde à sua volta tem outras cidades lindas: Sintra, Ericeira e Cascais. A Cidade.

segunda-feira, agosto 19, 2013

De volta aos treinos

Diz que hoje voltamos a correr. Diz que se não vós disser nada até logo à noite é porque não sobrevivi! 
Só para não mudar de ideias já deixei o equipamento todo pronto: top da adidas, calças de fato de treino e tennis. Só falta por o iPhone com a carga máxima para ficar tudo ok.
Para ter maior motivação... vou com a BFF, só por causa das coisas, que assim uma puxa a outra!

sexta-feira, agosto 16, 2013

Textos Perdidos (#08)

Apenas não eras tu. Aquela pessoa que tanto simplificava. Aquela pessoa que era ela. Aquela pessoa que algures gostei, gostei muito e muito me esforço para não dizer que é amor. Aquela pessoa que as palavras tocavam, tocavam em sítios em que mais ninguém alguma vez tocou. Aquela gargalhada que me faz sonhar. Aquela voz. Aquela voz me entra nos ouvidos. Aquela voz que apesar de tudo, ainda hoje me faz sonhar com ela. Aquela perfeição que nós os dois éramos. E era tão simples, tão simples. Mas no final complicaste tudo.

quarta-feira, agosto 14, 2013

Isto


Não adiar o amor. Uma reconciliação ou uma declaração. Não adiar mais um gesto que seja bom. Não parar na dificuldade, no medo, naquilo que não é o nosso coração a ditar, e que nos atemoriza. Não pôr nada de decisivo dentro de nós à espera tempo demais. Não adiar o viver a vida o melhor que se puder. Dar valor a quem gosta de nós, exercermos essa gratidão com humildade e autenticidade. Não adiar um mergulho no mar, dar as mãos a quem se ama, não dar nada nem ninguém por garantido, não adiar o dia em que se é honesto para sempre, sem trair ninguém, a começar por nós próprios. Não adiar o cheio da terra molhada de manhã, o brincar com os filhos, o ralhar-lhes quando é preciso.
Não adiar mais aquele telefonema que estamos há que tempos para fazer a uma pessoa de que gostamos, seja qual for a forma desse gostar.
Não adiar o momento de dizer alguém que o amor começou ou acabou. O dizer bom dia. Não adiar nenhum dos lados da vida, porque a vida esgota-se e só Deus sabe o que virá depois, e se.
[...] 
Dei comigo a pensar que passamos demasiado tempo distraídos na nossa bolha da pressa, da falta de tempo, da falta de atenção, da energia desperdiçada no acessório ou no que não interessa mesmo nada e, um dia, acabou. Quase sempre cedo demais, para as contas que fazemos.
Viver em pleno é estar à altura dessa bênção, a cada dia.
Não adiar tudo o que pode fazer de nós melhores e bem aos que nos rodeiam.  Que a vida não espera.

A Leitura

A leitura é uma coisa que gosto, pelo qual sempre fui apaixonada. A minha primeira colecção foi lida quando era eu bem pequena, tinha 9 anos. A colecção dos Arrepios. A partir daí... ler tornou-se um vício. Um vício muito bom. Ler transporta-me para outra realidade. Sabe-me demasiado bem. 
Não há livros bons, nem maus. Há livros que uns gostam e outros não gostam. A questão é essa. Eu apaixonada pelas Biografias, por bons livros, também adoro ler Nora Roberts, também adoro ler romances. Nos livros não há essa diferença, a diferença do "eu sei ler melhor porque leio Eça de Queirós". Não existe. E esse o fascínio da leitura. 

Não há diferenças e no fundo são folhas, folhas escritas, que adoro e me transportam para outro mundo.

terça-feira, agosto 13, 2013

Esta Coisa de Gostar de Alguém

Esta coisa de gostar de alguém não é para todos e, por vezes – em mais casos do que se possa imaginar – existem pessoas que pura e simplesmente não conseguem gostar de ninguém. Esperem lá, não é que não queiram – querem! – mas quando gostam – e podem gostar muito – há sempre qualquer coisa que os impede. Ou porque a estrada está cortada para obras de pavimentação. Ou porque sofremos de diabetes e não podemos abusar dos açúcares. Ou porque sim e não falamos mais nisto. Há muita gente que não pode comer crustáceos, verdade? E porquê? Não faço ideia, mas o médico diz que não podemos porque nascemos assim e nós, resignados, ao aproximar-se o empregado de mesa com meio quilo de gambas que faz favor, vamos dizendo: “Nem pensar, leve isso daqui que me irrita a pele”.
 Ora, por vezes, o simples facto de gostarmos de alguém pode provocar-nos uma alergia semelhante. E nós, sabendo-o, mandamos para trás quando estávamos mortinhos por ir em frente. Não vamos. E muitas das vezes, sabendo deste nosso problema, escolhemos para nós aquilo que sabemos que, invariavelmente, iremos recusar. Daí existirem aquelas pessoas que insistem em afirmar que só se apaixonam pelas pessoas erradas. Mentira. Pensar dessa forma é que é errado, porque o certo é perceber que se nós escolhemos aquela pessoa foi porque já sabíamos que não íamos a lado nenhum e que – aqui entre nós – é até um alívio não dar em nada porque ia ser uma chatice e estava-se mesmo a ver que ia dar nisto. E deu. Do mesmo modo que no final de 10 anos de relacionamento, ou cinco, ou três, há o hábito generalizado de dizermos que aquela pessoa com quem nós nos casámos já não é a mesma pessoa, quando por mais que nos custe, é igualzinha. O que mudou – e o professor Júlio Machado Vaz que se cuide – foram as expectativas que nós criamos em relação a ela. Impressionados?
Pois bem, se me permitem, vou arregaçar as mangas. O que é difícil – dizem – é saber quando gostam de nós. E, quando afirmam isto, bebo logo dois dry martinis para a tosse. Saber quando gostam de nós? Mas com mil raios, isso é o mais fácil porque quando se gosta de alguém não há desculpas nem “ ai que amanhã não dá porque tenho muito trabalho”, nem “ ai que hoje era bom mas tenho outra coisa combinada” nem “ ai que não vi a tua chamada não atendida”.
Quando se gosta de alguém – mas a sério, que é disto que falamos – não há nada mais importante do que essa outra pessoa. E sendo assim, não há sms que não se receba porque possivelmente não vimos, porque se calhar estava a passar num sítio sem rede, porque a minha amiga não me deu o recado, porque não percebi que querias estar comigo, porque recebi as flores mas pensava não serem para mim, porque não estava em casa quando tocaste. 
 Quando se gosta de alguém temos sempre rede, nunca falha a bateria, nunca nada nos impede de nos vermos e nem de nos encontrarmos no meio de uma multidão de gente. Quando se gosta de alguém não respondemos a uma mensagem só no final do dia, não temos acidentes de carro, nem nunca os nossos pais se sentiram mal a ponto de nos impossibilitarem o nosso encontro. Quando se gosta de alguém, ouvimos sempre o telefone, a campainha da porta, lemos sempre a mensagem que nos deixaram no vidro embaciado do carro desse Inverno rigoroso. Quando se gosta de alguém – e estou a escrever para os que gostam - vamos para o local do acidente com a carta amigável, vamos ter com ela ao corredor do hospital ver como estão os pais, chamamos os bombeiros para abrirem a porta, mas nada, nada nos impede de estar juntos, porque nada nem ninguém é mais importante, do que nós.

Enviado por mail

O Cupido bateu à porta

O Cupido bateu-lhe. Bateu forte, muito forte. O Cupido fez o meu irmão mais feliz, mais sensível, mais querido. O Cupido fez o meu irmão mais calmo. O Cupido fez o meu irmão ter juízo. O Cupido fez o meu irmão melhor. O Cupido bateu-lhe, bateu-lhe mesmo. O Cupido faz o meu irmão triste porque o seu amor foi de férias. O Cupido faz andar o mano calado, angustiado e mal disposto. O Cupido faz ele fazer uns kilometros só para estar com a sua amada 15 minutos e voltar para trás. O Cupido faz oferecer flores no meio de uma aula. O Cupido anda assim... louco e apaixonado por aquela casa.

#01

Isto é daquelas cenas que me acontecem a mim. Ficar com uma otite no meio de Agosto, implica não ir à praia até ao final deste mês, no mínimo. Implica também, haver temperaturas de quase 40 graus e eu dizer "tenho frio". Implica duas idas ao hospital, implica várias coisas que não gosto.
Implica uma série de coisas que nem é bom eu lembrar-me de tão mau que é. 
Implica igualmente pensar, pensar muito e só chegar a conclusões que não valem a pena. Mas implica também outra coisa, dar valor aquilo que temos. Ao bom que temos. Aos amigos. À saúde. Ao sorriso. À vida.

segunda-feira, agosto 12, 2013

Simples


Sejam simples.
Não tenham medo.
Sejam felizes com um sorriso.
Sejam felizes com a felicidade dos outros.
Sejam felizes com os pequenos gestos.
Sejam felizes com os amigos.
Sejam felizes com uma mensagem.
Sejam felizes com uma chamada.
Sejam felizes com um "Bom-Dia".
Sejam felizes com as mudanças.
Sejam felizes... se não o são, procurem a felicidade. Pode ser que esteja na pessoa que não esperam, ou que sempre esperaram a vida toda. 

Simplesmente: Sejam felizes.

quinta-feira, agosto 08, 2013

♥ Music


You Are The Kind Of Girl

Like Home

This Is

Tempo Do Amor 

Do Mau Feitio

O mau feitio é uma coisa que eu tenho. O mau feitio faz me dizer muitas vezes o que quero e o que não quero. Faz me dizer também coisas que podem muitas vezes magoar quem ouve. O mau feitio faz me dizer as verdades, de maneira simples. Como alguém me disse ontem "Oh Sissy, se não fosses assim, perdias a piada. E também, não eras tu". O mau feitio têm uma coisa boa... as pessoas sabem, normalmente o que podem contar de mim. Sabem que assim que fazem algo e não gosto, digo. Não ando a "encher o saco"
Contudo, o mau feitio não se aplica a todos (falha grave!). O mau feitio não se aplica a algumas pessoas de quem gosto realmente. Não tenho a culpa, é de mim. Faço-o sem me aperceber. Outras vezes, também levam com ele.
Como meu pai me diz "feitiozinho de merda" e "como é que alguém consegue ter tanto de bom, como de mau".
O mau feitio têm coisas boas e más. Ainda não me apercebi o que tenho mais.

terça-feira, agosto 06, 2013

Do Agora Do Amor

"Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo? Já ninguém aceita amar sem uma razão? Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de pratica.Porque dá jeito.Porque são colegas e estão ali ao lado. Porque se dão bem e porque é mais barato por causa da casa, das contas..."