sexta-feira, julho 26, 2013

Dos Amigos


Eu podia escrever sobre o estado do tempo, sobre aquilo que me apetecesse. Sobre alegria. Sobre felicidade. Sobre esperança. Sobre esforço. Sobre tudo e nada ao mesmo tempo. Nunca tive um grupo de amigos alargado. Nunca gostei, nunca apreciei, nunca fez o meu género. Gosto daqueles amigos que não têm agenda, daqueles que eu ligo e atendem-me logo, ou respondem à mensagem que acabei de enviar. Gosto daqueles que quando não atendem desligam a chamada e devolvem assim que podem. Gosto daqueles em que posso estar horas ao telefone e no fim "a sério, já passaram 2 horas?", gosto daqueles em que mando sms "hoje à hora do costume, encontramos nos no sítio do costume?". Gosto deles. Adoro-os. Sou apaixonada por eles. Gosto daqueles em que vou às compras "não leves isso, faz-te gorda", "não leves isso que fica-te mal", porque são sinceros. Gosto também daqueles que dizem as coisas sem os mnhmmsss mnhmms que me irritam tanto. Gosto deles e mantenho-os por perto, muito perto. Porque na mesma medida em que estão para mim, eu estou para eles.

3 comentários:

  1. Acho que vou roubar este texto para o meu FB!!!!

    ResponderEliminar
  2. Ora nem mais, revejo-me e muito nessa descrição, sou também assim e com o pensamento de que não são precisos 50 mil amigos para se ser feliz, tenho poucos é verdade, mas para mim são as pessoas mais importantes da minha vida e é bom saber que estão presentes em qualquer altura.

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)