quinta-feira, abril 18, 2013

Textos Perdidos (#04)


A verdade é esta: estou cansada de chorar e de me sentir a sufocar. Sinceramente, acho que muitas vezes já nem forças tenho para respirar. Tiraste me o tapete, tiraste me o Sol e essa treta toda. Mentiste-me deliberadamente, fizeste-me apaixonar por ti. O "quero mas não posso" tornou-se a frase que me faz querer matar pessoas, o "menina" é a palavra que me faz morrer por dentro. Fizeste-me sonhar, mas fizeste-me deitar muitas lágrimas. Mas uma coisa nunca me tiraste: o sorriso e a vontade de viver.

Fizeste-me querer, mas fizeste-me sentir mal. Fizeste-me querer algo, que supostamente não posso ter. Por egoísmo teu? Por falsidade tua? Não sei e talvez nunca saiba.

No meu intimo, ainda tenho esperança de saber, de te ter, de te beijar, de te amar loucamente, de fazer tudo aquilo que prometemos um ao outro. No final a verdade é essa.



(08/04/2013)

Roots



quarta-feira, abril 17, 2013

Textos Perdidos (#03)

Eu juro te sobre este assunto acho que já no tenho forças para falar... E gostar de alguém desesperadamente e saber que talvez essa pessoa goste de ti... Mas sem certezas. Ter momentos em que o tenho e é só meu, outros onde não faço a mínima ideia de por onde anda. É falar com ele e sentir como se não existisse mais ninguém, sem sermos nós dois. É apaixonar me por alguém que não sei o que quer, mas que por vezes parece gostar mesmo de mim. Não sei, sinto me perdida. Sei o que quero, sei. É ele.
(14/03/2013)

terça-feira, abril 16, 2013

Textos Perdidos (#02)


Eu acredito em sonhos. Ou pelo menos durante algum tempo acreditei. No amor e nessas coisas todas. Um dia espero voltar a acreditar. No acordar. Nos abraços profundos e sentidos. Na felicidade. No querer ir porque ele está lá. Quero acreditar nisso tudo novamente. No sorrir para algo parvo e lembrar-me é dele. Dos cheiros. Da esperança. Do querer. Do sermos felizes. Que é uma coisa que já não sou à algum tempo. Mas isso ele ainda não entendeu.

Textos Perdidos (#01)

Quando somos mais novos acreditamos nos príncipes encantados, nessas coisas todas lindas, que os desenhos animados nos mostram. Isso é tudo assim muito para giro. É engraçado. É diferente. O problema é que quando crescemos nos perguntamos "quê daquela merda toda que nos ensinaram? onde param os cabrões dos príncipes encantados? Fui enganada". E a verdade é essa. Fomos enganados com essas histórias todas. Todas elas belas e bonitinhas, para depois andarmos aqui. Porque podemos estar com alguém e gostar desse alguém, sentir carinho, amizade, sonhar. Mas depois aparece outro, que existe, porque sentimos uma vontade louca do levar por caminhos por onde nunca andamos. Onde queremos passar momentos únicos e sonhar. Sonhar muito. Acreditar nisso. Não implica que não amemos o primeiro, claro que não. Seria mentira. Mas não implica que não tenhamos uma paixão louca pelo segundo.

segunda-feira, abril 15, 2013

O que queres?

"Eu sei querida... Queres algo mais. Queres romance, mãos dadas, beijos a qualquer hora, jantares românticos, que ele esteja lá quando algo de mal te acontecesse para te ajudar, queres amor, palavras carinhosas. Queres isso tudo e muito mais."

"Mas apetecia-me estar em casa (ou na dele), sentados no sofá,bem agarradinhos a ver tv, embrulhados numa manta, quentinhos, ali naquele silêncio, mas com aquele silêncio que conforta a alma e aquece tanto o coração... aquelas mãos entrelaçadas, aquele abraço doce, aquele quentinho que deve ser só dele misturado com o cheiro dele, sentir a respiração dele calma ao meu ouvido, e ao mesmo tempo estarmos com as pernas entrelaçadas... ficar ali numa bolha, afastado do mundo mas no meu mundo, no nosso mundo."


quarta-feira, abril 10, 2013

Aquele momento



Aquele momento de dúvida, em que achas mas não tens a certeza que és feliz.
Aquele momento de dúvida, em que tudo o que era perfeito, já não o é.
Aquele momento em que pensas, pensas e pensas, quero estar noutro lado e não aqui.
Nesse preciso momento DEVES ser feliz, procurar a felicidade. 

 

segunda-feira, abril 08, 2013