terça-feira, fevereiro 19, 2013

O meu Eu do Futuro - Trabalho

Das várias coisas que escrevi, não foi apenas e só uma lamechice pegada. Não. Também escrevi coisas inteligentes.

" [...] Quando as coisas não te parecem bem ao principio é porque não são para ser. O teu sexto sentido funciona muito bem. Não te esqueças disto. Não atures qualquer coisa, quando estás mal vais-te embora. Tão simples quanto isto.  Demasiado bem. Por isso, quando tiveres mal muda-te. Não percas essa determinação que sempre tiveste foi algo que sempre te caracterizou. Outra coisa, lembraste daquilo que o teu pai sempre dizia com orgulho? "Nunca mandei a minha filha estudar", isso? Aplica agora, no teu futuro. Que nunca ninguém te mande trabalhar. Ajuda quem precisa (esta parte era evitada, sempre foste assim). Contudo nunca te esqueças que tens dois objectivos para o teu futuro. Tu sabes quais são. [...] Outra coisa... se  achares que isto do Marketing e das Relações Públicas não são a tua vocação, não desanimes. Acredita. Não há quem a encontre aos 65 anos? Não percebo o porquê da desanimação. Não faz sentido. Por isso, aplica-te naquilo onde és realmente boa, independentemente de ser ou não o teu curso. [...]"

01 de Março de 2008

2 comentários:

  1. Nem mais. Concordo a 300%. Seja no que for, temos de ser bons, pronto. E depois pensa assim: que raio é isto de nos obrigarem a tomar uma decisão de carreira quando ainda andamos na escola, à qual temos de ficar agarrados para toda a vida? De quando em vez penso que há pessoas que realmente gostam do que fazem, e têm essa sorte. Eu saí de um curso q ñ me ofereceu saídas profissionais, e virei-me para outro ramo para ganhar dinheiro. No meu curso não seria tão afortunada financeiramente. Se gosto do que faço? Nada. Mas no final de contas, é o meu trabalho, ñ é a minha vida.

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)