terça-feira, fevereiro 26, 2013

Love Today

Nunca percebi o ideal dos casamentos e das relações de fachada. Ou pior ainda, usar os filhos como desculpa. Não sei qual é a lógica e a essência. Já pensaram que se calhar era muito mais bonito a longo prazo se divorciariam? Separarem? Digo eu...
Quem me dera a mim que os meus pais o tivessem feito. Poupava me muitas horas de psicólogo e muitos dramas na minha vida. Sem dúvida, que no mínimo era diferente.
Não é bonito e simpático (digo eu...) dar a oportunidade a nós próprios de sermos verdadeiramente felizes? De ver o que há à nossa volta? De procurar pessoas novas? Para quem tem filhos, os filhos verem a felicidade nos olhos dos pais? Se não for pela a outra pessoa, pelo menos por nós.
E não me venham dizer "Pois Sissy... não é bem assim", eu respondo "é sim, se quisermos e acreditarmos".
Porque a partir daquele momento em que olhamos e dizemos "pois... realmente já não é o que foi, e nunca voltará a ser o que era" é o momento de dar mos uma chance a nós mesmos.
Porque sim e apesar de tudo, tudo tem um lado positivo.

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

About me (again)

Porque por vezes fazemos as escolhas e as mesma nem sempre são as mais correctas. e na altura parecem no ser. Depois passa, rápido e muito rápido. 
Por vezes falamos e dizemos e acontece, mas afinal não era nada disso. Dizemos porque fica bem (grave erro), dizemos porque achamos que é isso que a outra pessoa quer ouvir (ainda mais grave, parvo e idiota!!). Por isso, a politica do "eu não digo aquilo que acho que outros querem ouvir, mas sim aquilo que eu quero" deveria ser generalizada. Devia ser um hábito e não uma coisa que se diz quando calha.
Simplesmente já todos caímos nestes erros, uma, duas, centenas e milhares de vezes. 

Por isso desisti o ano passado, digo o que quero, como quero e o que penso. Quem esta mal que se mude.

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

19 anos depois e continua tudo na mesma

A distinção entre irmãos. Que um é perfeito e a outra já não tanto. Que uma é esta e aquela, o outro parece um santo. E não que são apenas duas pessoas diferentes. Por mais que me esforce, esqueçam, não vale a pena já tentei de tudo.
E o problema é que muitas vezes nem sinto pena daquilo que digo.

terça-feira, fevereiro 19, 2013

O meu Eu do Futuro - Trabalho

Das várias coisas que escrevi, não foi apenas e só uma lamechice pegada. Não. Também escrevi coisas inteligentes.

" [...] Quando as coisas não te parecem bem ao principio é porque não são para ser. O teu sexto sentido funciona muito bem. Não te esqueças disto. Não atures qualquer coisa, quando estás mal vais-te embora. Tão simples quanto isto.  Demasiado bem. Por isso, quando tiveres mal muda-te. Não percas essa determinação que sempre tiveste foi algo que sempre te caracterizou. Outra coisa, lembraste daquilo que o teu pai sempre dizia com orgulho? "Nunca mandei a minha filha estudar", isso? Aplica agora, no teu futuro. Que nunca ninguém te mande trabalhar. Ajuda quem precisa (esta parte era evitada, sempre foste assim). Contudo nunca te esqueças que tens dois objectivos para o teu futuro. Tu sabes quais são. [...] Outra coisa... se  achares que isto do Marketing e das Relações Públicas não são a tua vocação, não desanimes. Acredita. Não há quem a encontre aos 65 anos? Não percebo o porquê da desanimação. Não faz sentido. Por isso, aplica-te naquilo onde és realmente boa, independentemente de ser ou não o teu curso. [...]"

01 de Março de 2008

segunda-feira, fevereiro 18, 2013

O meu Eu do Futuro

Guardei a minha fita da minha bênção das fitas. Na altura, não sabia bem o que escrever, por isso optei, por divagar e dar conselhos ao meu "Eu" do futuro, na esperança que me ajudasse, ou na esperança de despachar a fita. Ocupei cerca de 4 fitas, com os meus conselhos. 

"Amanhã será o teu dia. O principio do resto da tua vida. O dia que pelo qual lutaste anos a fio, o dia em que o teu Pai e a tua mãe vão chorar de orgulho. O dia em que a menina deles consegue a Licenciatura. [...] Foram 3 anos e meio. Passou a correr. Parece que foi ontem, que andaste nas praxes, em figuras tristes, mas que deixaram tantas saudades. [...] Com isto, deixo-te alguns conselhos. Nunca te esqueças de amar, de dar tudo o que tens, a alma e o corpo. De ser feliz e de acreditar. Acreditar em ti e nos outros. Eu sei que é difícil. Já deitaste muitas vezes a tolha ao chão, e? O que tem de especial? Levantas-te sempre, não foi? Então, continua. Dá oportunidades, de serem felizes contigo, de te amarem pelo que és. Simplesmente isso. Não sejas mais e não sejas menos. Sê apenas tu. Pede desculpa, sim tantas vezes foi esquecido devido a esse orgulho, portanto pede quando tens que pedir e exige que te peçam desculpa quando tens direito. [...] No fim disto tudo, só te peço isto: Sê feliz e ama. Ama com tudo. Ama com esperança, Ama com felicidade. Sê tu. Sê selvagem. [...]
Com isto, Sílvia Sofia, nunca te esqueças de onde vens e muito menos te esqueças para onde vais."
01 de Março de 2008

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Parabéns

Sim, hoje se fosses viva, fazias anos. Hoje se fosses viva, logo à noite ligava-te e dizia "Parabéns minha querida madrinha", como eu estupidamente me esqueci, de o fazer na última vez que tive possibilidade de o fazer. Hoje, lembro me de ti, mais do que nos outros dias. Hoje lembro-me do teu sorriso, de quem tu eras. Hoje, questiono-me, ainda mais do que o habitual, o porquê de não me terem dado mais tempo contigo. Contudo, agradeço-te imenso, por também teres sido minha mãe, por teres me ajudado sempre que pudeste, ou por teres sido simplesmente tu. Por teres me ensinado tudo o que sabias e por ainda hoje me lembrar de ti com saudade. Mas uma boa saudade. Saudade de me rir, quando fiquei feliz por teres deixado outro país, por nunca te teres esquecido dos meus anos, por seres simplesmente que tu és. E por teres marcado outras pessoas, com esse teu coração.

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Beleza

A beleza das coisas está nos olhos de quem vê, de quem sente e de quem vive o momento. A beleza das coisas está na esperança que ela nos transmite. No querer mais e melhor. A beleza como é muitas vezes estereotipada, não passa de um simples preconceito. A beleza não é a mesma aos olhos de todos. Por isso, muitas vezes nos apaixonamos por quem está certo ou está errado. Por isso, é que a beleza não é toda igual. Por isso é que vamos vendo e vivendo. E muitas vezes, não vamos aprendendo.

Apenas isto...

Eu juro que vós podia escrever um post sobre moda, sobre coisinhas bonitas e cor-de-rosa. Um post onde parecesse assim como que um mar de rosas. Um post sobre sapatos, sobre coisas que vós podia realmente interessar, sobre coisas que também me interessam. Confesso que podia. Mas também digo, que nunca o fiz. Nunca escrevi sobre algo que não sentia, sobre algo que não desejasse. Talvez seja esse o principal motivo de manter o blogue desde 2004, já são muitos anos, muita partilha. Nunca o fiz, por isso hoje também não será esse dia. No dia em que este blogue voltar ao estado normal, ao estado em que não me sinto mal em escrever, voltarei impecável. Entretanto, vamos andando por aqui, escrevendo uns textos conforme me vai apetecendo e lendo os vossos blogues na esperança que as coisas melhorem.