quinta-feira, julho 26, 2012

Dias dos Avós

Infelizmente, já não os tenho. Quer dizer, ter tenho, porque nunca deixam de ser os MEUS avós. Únicos, especiais. Mas isto hoje, não é dia de lamúrias. É dia de agradecer a Eles, estejam onde estiveram. Pelas risadas, pela felicidade, pelos bons momentos, pelos meus pais, por tudo. Por tudo o que me deram, por tudo o que me desejaram.
Com isto, Parabéns a todos os Avós de todo o mundo, quer estejam entre nós, quer não estejam e que continuem a espalhar o Amor que vocês sabem, melhor do que ninguém, pelos vossos netos!

quarta-feira, julho 25, 2012

Ted


Aconselho vivamente este filme. Adorei. Fui ver ao cinema e só tenho a dizer o Ted é um grande maluco. Deu para rir imenso, com as loucuras do urso.
Para começar têm o Mark Wahlberg que nem tenho palavras, para descrever o senhor. E ainda têm a Mila Kunis, oh se eu fosse gajo.

Podem ver o trailer aqui.

terça-feira, julho 24, 2012

From Summer with love


Quem me conhece sabe que gosto do Verão e do calor. Gosto dessas coisas todas. Mas não gosto de andar a apanhar escaldões, não acho piada. Da mesma maneira, que não gosto de ir para a praia nas horas de maior calor, ou vou muito cedo ou vou mais à tarde. Uso sempre, no inicio, protector solar factor 50 da Avene, que vida de nuvemzinha mal encarada é assim. Coloco o chapéu de sol, a toalha e lá vou eu. Repito o protector solar de 2 em 2 horas. Tenho este cuidado, não porque me disseram para o fazer, mas sim porque não gosto de andar com ar de lagosta. Não gosto. Da mesma maneira que, não gosto de andar com marcas de bíquini. Das poucas vezes que apanhei escaldões, foi este aqui que me salvou. Bendito seja. Com isto, consigo (ao contrário daquilo que outros podem pensar) ficar bem bronzeada e com cuidado.

quarta-feira, julho 18, 2012

É só a mim? Será normal?


Já vos aconteceu uma música passar na rádio e dizerem "mas que porcaria é isto?" e depois de estar sempre, sempre, sempre a passar, lá começamos a dizer "ah pois até que é gira..". Passado mais algum tempo, ela começa a passar na rádio e lá levantamos o som e começamos a cantar? Demasiadas vezes. A sorte é que nunca passaram para a categoria de músicas fantásticas que ouço a qualquer hora e quando estou feliz ou deprimida.

terça-feira, julho 17, 2012

As Horas Distantes

Comprei este ebook. Vamos ver. Se vou gostar ou não. Comprei quer dizer, ofereceram-me um vale. Quem sou eu para desperdiçar estas oportunidades? Já agora, informo que podem continuar a enviar vales, que eu aceito.

Já faltou mais...


Para estarmos em modo férias. Eu prometo que vou ser boazinha, vou pôr muitas fotos e coisas assim muitoooo simpáticas.

sexta-feira, julho 13, 2012

Hoje dei para aparvalhar (ou será que são eles que aparvalham connosco?)



Para quem não sabe eu tirei o meu curso de Comunicação nas Organizações (Marketing, Publicidade e Relações Públicas), na Universidade Lusófona. Logo pôr aí, julgo que já devo ter equivalência a não sei quantas cadeiras dos outros cursos, por isso acho que isso deve me dar direito a mais cadeiras de equivalência do que o outro. Continuando. Tenho 7 gatos já à algum tempo. 4 deles nasceram em minha casa. O pai deles foi lá para casa ainda bebé e tivemos lhe que dar leite por uma seringa. A tia deles já magoou a pata e andou engessada. 4 gatos já foram esterilizados e 1 gata também. Mudei pensos, dei comprimidos, tratei deles. Aturo animais de duas patas todos os dias. Que diga-se, muitas vezes é bem pior do que aturar os de 4 patas. Será que isto me dá equivalência ao curso de Medicina Veterinária?

quinta-feira, julho 12, 2012

Depois ainda me perguntam porque é que eu prefiro os gatos...


Eu compreendo que nas empresas sejamos apenas um número, uma despesa. Eu compreendo isso tudo. Compreendo também, que existem pessoas mais dadas que outras. Também compreendo. Compreendo também, o porquê, de numa altura de despedimentos, se queiram distanciar dos colaboradores. Agora não podem e não me vão obrigar a compreender, que quando mandam alguém embora, alguém com quem têm uma relação, embora apenas e só profissional, não dizem nada, nem comentam. A pessoa que assina a carta está passados uns dias, com a outra pessoa que mandou embora. A pessoa que assina a carta, simplesmente não faz qualquer tipo de comentário. E a empresa, não é assim tão grande, para não se lembrarem disso! Ninguém sabe de nada. Ninguém diz nada. Ninguém sonhava que a outra pessoa ia ser mandada embora. A chefia directa, também não sabia. A pessoa que supostamente escreveu a carta (sim, porque não é a mesmaa!!!) nem sequer pode dizer alguma coisa devido aos princípios de confidencialidade. Uma autêntica falta de respeito pelas pessoas. 
É que isto até esta fácil para arranjar trabalho e tudo.

quarta-feira, julho 11, 2012

Das insónias

Eu não sei o que tenho mais: se sono ou se vontade de ir de férias. Sim, porque as minhas amigas insónias voltaram. Assim lindas que só elas. Gosto mesmo delas (ou não). É assim uma coisa muito bonita ficar acordada durante umas horas, a fazer festas aos gatos, porque tenho que me entreter com alguma coisa. É mais bonito ainda, levantar-me com uma enxaqueca. Muito bonito. Lindo. É também muito giro, ficar acordada assim de manhã cedo. Apenas isso.

sexta-feira, julho 06, 2012

Alguém que me explique...


Tantos comentários me surgem, que vocês nem imaginam. Eu, quando esta história toda começou, sabia que as coisas iam ficar um bocadinho más, mas assim? Juro, que nunca imaginei. Dizem que a natalidade baixou. Então mas queriam que o pessoal andasse aí a comer-se uns aos outros, para trazerem crianças ao mundo, para passarem fome? Era isso? Que é que estavam à espera? Que o pessoal fosse de férias, fosse jantar com a família? Era isso? Eu só ouço cortar, cortar e cortar. Só ouço pessoas que não têm trabalho, que estão a passar dificuldades, que querem pagar as despesas e não há dinheiro. Só ouço isso. Sempre pensei (como boa optimista que sou, mas isso também está a acabar...) que as pessoas tivessem direito ao trabalho (assim como também têm o dever de o procurar). As pessoas tivessem direito à família, ao bem-estar. Mas não. Parece que não. Mas sim, vocês pensam que não, mas eu (e mais quantos?!) tenho a solução para eles: comecem a cortar nos vossos ordenados, nos vossos jantares caros, nos vossos carros novinhos, nas vossas férias com tudo de bom. Fácil. Também não gostam? Temos pena. Começamos por quem nos colocou nesta situação.

Dos subsídios de férias, nem vou falar, porque não vale muito a pena. Já estava à espera. Triste, mas verdade.

Por isso, alguém que me explique, será que o problema sou mesmo eu, ou é mesmo desta gente que não chega lá?

Das novas tecnologias


Eu sempre disse que não ia achar piada a estas coisas. Ver jornais num ecrã? Tão parvos... só pode. Livros? Muito menos. Só gente parva. O problema é que, eu devia ter estado calada. Bem caladinha, que fazia melhor figura. Estou loucamente apaixonada pelo meu novo iPad. Lindo que só ele. Com ele leio as notícias todas, os jornais e os livros. Nunca pensei escrever um post a dizer que tinha trocado o papel. Nunca. Acreditem nisso. Eu, que quando andava na faculdade, imprimia tudoooo para corrigir com caneta. Eu que sempre andei com papel à volta. Eu mesma. Troquei-o. Com isto, tornei-me mais amiga do ambiente e sempre se poupam umas boas quantidades de papel.

quinta-feira, julho 05, 2012

Não se fala, mas existe.


A fome. O querer comer e não ter. O precisar de sopa e não ter nem uma cenoura. A época do desperdício, onde se tinha tudo e nada se queria, já passou. A época em que se ia jantar fora, sem olhar para o dinheiro, também. O ir às compras já não passa por ir, mas por ir porque preciso e preciso de pensar muito bem no que se vai gastar. Será que preciso? Será que me faz mesmo falta? São perguntas que agora fazemos. Mas voltamos ao mesmo, ao querer comer. E o problema é que uma pessoa quer ajudar. Quer dar. Quer que não tenham fome. Que não chorem. Querem isso tudo. E agora, como?

domingo, julho 01, 2012