terça-feira, setembro 13, 2011

Dos Professores


Relativamente a esta notícia, não me ocorre muito a dizer. Se calhar até ocorre, mas muitas pessoas, não iriam gostar. 

Para começar, em todo o lado existem maus e bons profissionais. 

Daquilo que eu me recordo, os piorzinhos que eu tive foi de Matemática, Ciências (ai que eu vi a minha vida a andar para trás no 8.º ano... oh se vi!), Inglês e Francês. Aquelas personagens eram uma nódoa! 

Os de matemática precebiam daquilo imensoooo, não sabiam mas era como explicar as coisas. De ciências, acho que relativamente a essa disciplina, podem-se contar pelos dedos da mão, as pessoas que passaram nesse ano. De inglês, tudo aquilo que aprendi, foi em todo o lado menos da escola. Abençoemos o meu paizinho que me pagou um curso de Inglês cá fora. De Francês... vou me remeter ao silêncio, porque não vale a pena. Nem sabia escrever algumas palavras.

Por outro lado, tive óptimos professores de Geografia, História e Português. Até poderá ter a ver com a minha aversão aos números e afins, mas se repararem o Inglês está metido no primeiro grupo e eu agora até me safo bem e gosto de falar. Perdi o medo.

No entanto, acredito e continuo a achar que é uma classe que é demasiado valorizada. Com isto, apesar daquilo que muitas pessoas pensam, não substitui a educação em casa. E talvez uma parte dos problemas, comece ai. Alguns recebem muito. E não venham falar de que precisam de fazer não sei quantos km's para chegar ao local de trabalho, porque existe muita boa gente que muda de casa e afins, para trabalhar. Tal e qual como a não colocação, não são os únicos. Existe para aí muita gente que não têm emprego na sua área.

4 comentários:

  1. Concordo totalmente com o que dizes. Há muita gente muito bem paga e que trabalha 4 meios-dias por semana. Conheço casos e que mesmo assim dizem estar pela escola pelos olhos. Imaginem se trabalhassem as 8 horas como qualquer mortal.

    ResponderEliminar
  2. É bem verdade, deviam dar valor às regalias que têm e que mais nenhuma classe profissional tem...

    ResponderEliminar
  3. Como eu concordo com todas as palavrinhas que escreveste!
    Agora espero que nenhum rpofessor leia isto, senão vem logo um chorrinho de críticas e lamentações. Eu acho que eles devem ter disciplinas na faculdade a ensinar lamentaçõess acerca de tudo!!
    Não ganham nada mal, trabalham mt menos horas que eu (eu trabalho pelo menos 8h/dia), têm férias que não consigo sequer contabilizar...
    Eu não sou professora e já trabalhei em Évora, Setúbal e Lisboa e não sou de nenhuma destas cidades...
    Enfim...
    Deviam era festejar todos os dias as regalias que têm!!!

    ResponderEliminar
  4. Querida Sissy, como tua leitora assídua, amiga virtual e professora, não podia deixar de dar a minha opinião, sobre este assunto.
    Os professores, trabalham na escola trinta horas por semana, em média. Fora da escola, mão se conseguem contabilizar as horas que trabalhamos: a preparar aulas, a preparar fichas, a corrigir os TPCs, a fazer actas das reuniões, a preencher papelada e papelada e papelada para avaliação. Sei que me deitei muitas vezes às 4h da manhã! E que me levantei anos a fio às 6h da manhã, para estar às 8.30h, numa sala de aula. Sei que durante anos, percorri por mês 3 000Km, para dar aulas, ou seja paguei para trabalhar!!
    Por alguma razão somos um país que a OCDE, diz que tem 96% de sucesso escolar, segundo dados saídos ontem!
    Bons e maus profissionais, há em todas as áreas e isso é latente no nosso dia-a-dia.
    Beijinhos e desculpa o "testamento". :)

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)