domingo, agosto 15, 2010

Confissões (#1)

Acho que sempre vivi numa espécie de corda-bamba enquanto estava na casa dos meus pais. Tinha sempre que agradar a um, e ao outro para os dois ficarem felizes. Pensava e depois é que agia. No mínimo era estranho. Para a minha mãe eu sempre fui a cabra, que me cuspia para cima e me batia que andava sempre a fazer de menina bonita ao meu pai. Para o meu pai as responsabilidades caíram sempre em cima de mim. Eu aos 08 anos já fazia a contabilidade da empresa. Hoje cada vez que me ligam, dá-me sempre uma vontade louca de lhes desligar o telefone na cara e dizer "Quê foi? Desapareci... esqueçam-me....". Porque sei, que a realidade é esta se precisar de alguma coisa delas tenho que chorar e fazer beicinho, armar-me em menina, sem nada. Mete-me nojo. Ainda hoje, cada vez que olho para o telemóvel e vejo o nome deles sinto uma coisa estranha, como se de um aperto se tratasse. Não é normal, eu sei. Muito menos saudável. Tento vir com isto. Tento me ir esquecendo. Talvez por isso é que eu tenha Transtorno Obsessivo-Complusivo. Desde os meus 17 anos. E vou me tentando debater com isso ao longo dos anos. De uma maneira ou de outra. Acho que é a primeira vez que o admito em voz alta. É a primeira vez que o reconheço. É a primeira vez que conto a alguém. Nem sei o que me deu para escrever isto.

7 comentários:

  1. simplesmente nao aguentavas mais e tiveste de deitar cá para fora . sapo entalado não é bom. acho que sim o blogue tb serve para desabafar, e como por respeito nao gritas com os teus pais aproveita e grita tudo para aqui que ninguém te ouve. kis :(:(
    vive um dia de cada vez hoje de certeza foi um dia proveitoso pois disseste o que te magoava.

    ResponderEliminar
  2. Acho que fizeste bem, pelo menos aliviaste um bocadinho certo?
    Deu para apanhares uma lufada de ar fresco...e às vezes faz-nos maravilhas !! :) *

    ResponderEliminar
  3. Concordo com os comentos acima. O que nos dá nós na garganta, mais cedo ou mais tarde deve ser deitado cá p'ra fora. Foi o que fizeste e esta é uma forma boa de o fazer. Aqui muitos te lêem mas poucos sabem quem és (como eu) pelo que partilham e compreendem o teu sentir, sem falsos julgamentos. A vida e a maneira de a sentir, só cada um é que sabe. Muitos gostam de opinar e achar que sabem coisas e loisas, mas só quem o sente sabe o que diz e o que escreve.
    Continua com os teus desabafos. Estamos aqui para ouvi.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Obrigada por desabafares, por confiares nos que te lêem. Com a distância do tempo, vemos certas coisas muito claramente. Há uma frase que diz: "Quando nascem todos os filhos amam os seus pais, quando crescem começam a questioná-los, mais tarde alguns perdoam-nos." Não digo com isto que todas as pessoas tenham problemas mal resolvidos com os pais, mas a verdade é que a família é frequentemente uma grande fonte de ódio e de pouco amor. Afinal de contas a família nós não escolhemos. A única coisa que posso te desejar, é que para o teu bem, consigas diminuir essa mágoa e ressentimento, cuja principal prejudicada és tu. Força!!!

    ResponderEliminar
  5. Eu estive a ganhar esse transtorno, mas fui a tempo de o acalmar com medicação. Andava sempre a lavar as mãos, verificar o carro etc. Esse stress não ajuda nada, principalmente se sabes que vem de pessoas que supostamente deveriam te ter aceitado como és. Mas se deste o teu melhor, também tens o direito de te zangar e de sentir alguma revolta. Não é saudável, mas é humano.

    ResponderEliminar
  6. se desabafaste é porque precisavas de mandar cá para fora. espero que fiques bem e que um dia possas "resolver" isso contigo da melhor maneira.
    força*

    jinhuxx

    ResponderEliminar
  7. às vezes é mais fácil escrever do que falar...principalmente quando tem a ver com pessoas que são muito importantes na nossa vida e com quem temos uma relação difícil. eu tenho muita dificuldades em falar ou escrever acerca da que tenho com os meus. e acho que há ainda "issues" que tenho que aprender a ultrapassar relacionados com o meu ambiente familiar.

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)