domingo, abril 11, 2010

Vinde a mim as Criancinhas*


"No tempo da outra senhora, os comunistas eram acusados de 'comer criancinhas ao pequeno-almoço'. A hipérbole parece aplicar-se, agora, ao Clero. O colunista católico João César das Neves clama que a Páscoa decorreu sob o lema do 'crucificai-o' ­- ao Papa -­ tal como há 2 mil anos aconteceu com Cristo. É grande, para o Vaticano, a tentação de falar em 'perseguição' os números comprovam que a incidência de práticas pedófilas é muito superior noutras áreas de actividade, que lidam com menores, e minoritária em celibatários. Afinal, se alguns treinadores ou professores cometem actos de pedofilia, ninguém se lembrará de culpar a classe dos treinadores ou dos professores. Do mesmo modo, se se souber que uns pediatras tiveram práticas pedófilas, ninguém se lembrará de culpar a classe médica, ou de interpor um processo contra o bastonário da Ordem dos Médicos, por encobrimento. O bastonário não é polícia. O Papa também não. A Igreja não tem, pois, de sentir complexos.

[...]

A Igreja esquece a virtude da humildade. A Igreja despreza as lições do arrependimento. A Igreja substitui a graça do perdão pelo pecado do encobrimento. A Igreja contradiz os seus ensinamentos, mostrando-se, primeiro, acossada, depois desorientada e, por fim, vítima.

[... ]

Devia sentir-se arrependida e mostrar-se pró-activa. Fazer o seu acto de contrição, por ter pecado por actos e omissões. Retirando aos prevaricadores a tentação e afastando-os das comunidades que ofenderam com os seus crimes.

Devia revelar discernimento. Explicar que é feita por homens e, portanto,imperfeita. [... ]

A Igreja devia, finalmente, ser totalmente transparente. Mostrar que não deve e não teme. E usar esta provação, presumivelmente enviada por Deus, para melhorar e fortalecer-se.

A prática evidenciada pelo Vaticano não é a de uma igreja, mas a de uma seita. A estratégia de ocultação adoptada por Bento XVI é própria de uma sociedade secreta, vagamente mafiosa. E a impiedade para com as vítimas é chocante. Os católicos decepcionam-se, o anti-Cristo esfrega as mãos. Se o próprio Jesus, do alto da Cruz, olhasse, agora, para o 'crucificado' de João César das Neves, ao seu lado, dir-lhe-ia: 'Esta noite NÃO estarás comigo no Paraíso.'"

Mais do que de acordo. Uma realidade, que não pode ser ignorada...

* Texto Integral aqui.

2 comentários:

  1. Todo o cuidado é pouco e se antigamente essa frase tinha um cariz de apego e amor hoje tem outra conotação, infelizmente. kis

    ResponderEliminar
  2. antigamente ninguém sabia o que se fazia na Igreja, só as vitimas, que tinham medo de falar. não se calem, nunca, denunciem o que se passa!
    e os católicos fecham os olhos, como sempre.

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)