quarta-feira, dezembro 16, 2009

Esta cena da Família...

Por vezes, acho que fui adoptada. Por vezes ou quase sempre.

Gostava de um dia (pode ser tipo, agora!) receber uma chamada ver no visor do meu telemovel o nome dos meus pais e depois dizerem-me "Querida, foste adoptada!" .

Não tenho paciência para sorrisinhos falsos, palavrinhas bonitos (só no Natal), quando se esquecem do meu aniversário, quando não são as primeiras pessoas quando estou em modo de urgência.

Por isso, este ano iniciei uma nova tradição natalícia: c'est fini, acabou, the end. Estou farta porque simplesmente não tenho paciência para estas merdas, nem para estas tretas.

Já não estou na casa dos meus pais, por isso, já não tenho que aturar estas cenas, de ir passar o Natal onde o Diabo perdeu as botas, para me dares meias com raquettes de ténis, cuecas que fazem lembrar eu sei lá o que e ainda pela 1000ª vez a mesma travessa para o mesmo bolo! Se guardassem as prendas num sítio que eu cá sei...

Nunca precisei que me dessem nada por obrigação. Nunca precisei que me desse palmadinhas nas costas e depois fossem falar mal. A única pessoa, que por quem eu podia passar o Natal, onde o diabo perdeu as botas, infelizmente já cá não está. Por isso, the end!

1 comentário:

  1. Querida Sissy...
    Infelizmente, em todas as famílias há problemas e desavenças e falsos sentimentos, mas isso nunca se pode prender com o facto de hipoteticamente a pessoa ser adoptada ou não.
    Euzinha, fui adoptada pelos meus pais aos 4 meses, nunca conheci a minha parideira e olha que nunca senti que o facto de ter sido adoptada mudasse alguma coisa, pelo contrário, sempre fui querida e super mimada por eles.
    A adopção não tem nada a ver com o facto de sermos bem ou maltratados até pq quem adopta é quem realmente quer ter 1 filho e n o consegue d outra forma.
    Mas Sissy querida nem tudo na vida é mau....
    =)

    ResponderEliminar

escreve... vá lá... não custa nada... ;)