sábado, abril 15, 2006

Quem veio de marte et quem veio de júpiter?

À dias numa conversa bastante elucidativa apareceu-me um comentário do género... "Os rapazes não são como as raparigas... os rapazes não vão ao cinema em grupo...". Ok... até aqui tudo bem... mas agora pergunto eu.. "Afinal de quem é o preconceito?" Se um conjunto de rapazes que vão ao cinema são supostamente gays, afinal o que é um conjunto de raparigas? Um conjunto de hormonas na idade de se desenvolver, que andam à caça de gajos, mas sempre em grupo? Terá lógica haver este preconceito, esta maneira ver as coisas? Os rapazes não vão em grupo à casa de banho, as raparigas vão porque precisam de conselhos de amigas..daquelas que podem dizer se a saia está boa, se o baton está de acordo com a sombra, ou se o lápis está bem colocado perante todo o seu eu. Que eu saiba até a ver o homem, dito comum, ainda não apareceu maquilhado à minha frente... maybe one day... not today... Compreendem agora? Afinal... quem é que é complicado? As mulheres que não tem complexos em assumir-se como vaidosas ou os homens que admitem que o são, passam por gays...?! Se um rapaz é visto numa secção de lingerie feminina é porque tem o fetiche de se vestir com ligas vermelhas, soutien e tanga a condizer? Terá lógica tais pensamentos? Porquê não assumir de uma vez que às vezes sabe bem ir a uma loja de lingerie feminina comprar uma peça/conjunto para a namorada/mulher/amante/irmã/mãe... etc... e tal? Simplesmente porquê? Ser gay é assim um conceito tão subjectivo que através das atitudes se vê? Será que há problemas em ir ao cinema com os amigos? Um grupo de rapazes não pode ir ao cinema? Às compras? Para além de pouco provável que tal mude... fica aqui a mensagem...ninguém veio de Júpiter, nem de Marte... pelo menos falo por mim, que vi da barriga da minha mãe com muito gosto... apenas temos atitudes diferentes, que por vezes tem consequências mais drásticas e sem sentido...

Sem comentários:

Enviar um comentário

escreve... vá lá... não custa nada... ;)