sábado, outubro 23, 2004

Odeio...

Odeio pessoas falsas,hipócritas e cínicas. Odeio concertos foleiros, música pimba e comida alentejana. Odeio ir à casa das outras pessoas sem ser convidada e virem à minha sem o serem. Odeio que digam mal de mim nas minhas costas e pessoas que não são frontais. Odeio amores perdidos e horas perdidas por causa dos mesmos. Odeio o cheiro de papel queimado porque parece que queimam uma vida e odeio estar à lareira sem estar muito bem acompanhada. Odeio o Inverno quando estou sozinha, odeio estar sozinha porque quero, odeio que me amem e não amar esses mesmos. Odeio comida de fast-food, odeio pessoas de duas caras, odeio betos, odeio tias, odeio pessoas armadas em boas e odeio pessoas boas armadas em chatas. Odeio pessoas que parecem vazias mas afinal são um poço sem fim. Odeio telenovelas sem fim, odeio saber que não vou almoçar a casa. Odeio ir ao cinema sem companhia e odeio ir ao Chiado sem dinheiro. Odeio não ir uma vez pôr mês ao chiado, porque funciona como uma terapia. Odeio ir ao Vasco da Gama e estar mau tempo, para me ir sentar nos bancos à beira mar para voltar a pensar em tudo aquilo que passei ali. Odeio andar sem dinheiro, odeio saber que amanhã tenho que me levantar cedo e não sei bem porquê. Odeio saber que amanhã tenho alguma coisa para fazer, porque o prazer da vida está nos imprevistos. Odeio desenhos feios, odeio capas foleiras e capas de "people i'm here". Odeio bestas, odeio troles. Odeio pessoas que não são capazes de amar aquilo que é seu e aquelas que as amam porque fica bem. Odeio tentar ser feliz e nunca o conseguir, odeio tentar e bater sempre com a cabeça na parede. Odeio políticos que têm a mania que sabem falar e gerentes do futebol que pensam que o sabem. Odeio amar e saber que não sou amada. Odeio não ir à bola de 3 em 3 meses, porque funciona como uma recuperação a nível mental de todo o trabalho que tenho andado a desenvolver. Todos nós temos que ter alguma coisa para odiar...

Sem comentários: